sexta-feira, 23 de setembro de 2016

"Pontapé de Saída J" - notícia-resumo



Cerca de 300 jovens, vindos de várias zonas da nossa Diocese deram início às actividades pastorais deste ano 2016 num evento a que se deu o nome de Pontapé de Saída J.

O encontro começou com um momento de descontração e muita música para dar as boas vindas aos jovens. Depois da palavra de saudação feita pelo nosso Director, Padre José Pedro Azevedo, seguiu-se um período de testemunhos de 3 jovens que participaram nas Jornadas Mundiais da Juventude em Cracóvia e onde vinha em evidência a experiência vivida e o desafio de a continuar cá na nossa Diocese. Seguiu-se a apresentação da nova equipa do Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil (SDPJ), com muitos rostos novos e com muita vontade de servir a Juventude do Porto.

O lema diocesano «Com Maria Renovai-vos nas fontes da Alegria», deu o mote a este encontro e a todo o trabalho a realizar ao longo do ano. O Padre Zé Pedro interveio dizendo que queremos concretizar este lema diocesano, preparando-nos para as próximas jornadas mundiais da juventude no Panamá (2019), esperando muito do Sínodo sobre a juventude que o Papa convocou para 2018 e saindo do «Sofá» porque «Basta de cidade esquecidas». Então, é objetivo do SDPJ ajudar os jovens a dar nome e cor às nossas cidades, vilas e aldeias, paróquias, movimentos e grupos, saindo do sofá como nos desafiou o Papa Francisco em Cracóvia: «A nossa resposta a este mundo em guerra tem um nome: chama-se fraternidade, chama-se irmandade, chama-se comunhão, chama-se família» (discurso na vigília de oração em Cracóvia). Por isso, o primeiro desafio que se lançou neste encontro foi o da comunicação dos eventos e experiências que se vivem nos vários grupos, nas vigararias e paróquias: foi pedido que sempre se comunicasse ao SDPJ o que é feito, para que assim se pusesse a circular por toda a Diocese e começarmos a criar uma rede de oração e participação de todos: conhecendo e conhecendo-nos, poderemos viver a fraternidade concretamente.

Os jovens do Porto querem ser protagonistas da mudança, querem ser corajosos, vigilantes e atentos para responder ao sonho de Deus para a nossa Diocese do Porto. Assim quer o SDPJ apostar, este ano e nos próximos, na formação de animadores de juventude, para que os jovens possam deixar a sua marca com dizia o Papa em Cracóvia: «é preciso decidir-se a trocar o sofá por um par de sapatos que te ajudem a caminhar por estradas nunca sonhadas e nem mesmo pensadas, por estradas que podem abrir novos horizontes, capazes de contagiar-te a alegria, aquela alegria que nasce do amor de Deus, a alegria que deixa no teu coração cada gesto, cada atitude de misericórdia.…Caminhar pelas estradas do nosso Deus, que nos convida a ser atores políticos, pessoas que pensam, animadores sociais; que nos encoraja a pensar uma economia mais solidária do que esta».

Estes trezentos que participaram neste encontro já aceitaram ser «jogadores titulares em campo» e vão agora contagiar todos os outros que encontrarem. Por isso o desafio para os próximos anos passa por nos colocarmos sempre em saída e assim vão ser celebrados os dias diocesanos da juventude, com uma peregrinação e caminhada aos lugares da memória viva do Povo de Deus que está no Porto: vamos peregrinar aos nossos santuários marianos existentes nos quatro cantos da nossa Diocese para ensaiarmos a bela e difícil caminhada da vida.

Um outro projeto que foi lançado neste Pontapé de Saída J foi a SUMMER SCHOOL HOMENS NOVOS, a realizar em conjunto com o Secretariado Diocesano da Pastoral Universitária e pretende responder à pergunta do Papa: «Quereis ser esperança para o futuro ou não?» Esta escola para universitários ou jovens que já estão a trabalhar quer proporcionar uma experiência de humanidade onde o jovem se descubra a si mesmo e para que serve a sua vida. Ao serviço dos outros, eis o desafio e a meta. Quem sou? O que busco? Para que sirvo? Uma Escola de humanidade e de serviço e um laboratório de fraternidade, com o objetivo de formar Homens novos com sentido para a vida, que sabem para onde vão e preparados para as periferias existenciais da humanidade.

Queremos ir ao encontro de experiências que a nossa tradição tem, lugares da nossa identidade cristã: Caminhos de Santiago, como descoberta do que me constrói, o exercício da memória e um laboratório de descobertas; Comunidade monástica de Taizé como descoberta dos fundamentos e o preenchimento da minha interioridade, um laboratório de oração; Santuário Mariano de Lourdes e Paróquias da Diocese do Porto, onde se pretende descobrir/concretizar a marca de Deus, a caridade, sendo Voluntário de Deus onde é preciso, passando uma semana de Missão numa paróquia/comunidade da Diocese do Porto ou em Lourdes, um laboratório de serviço.

A palavra do nosso Bispo, D. António Francisco encorajou-nos a prosseguirmos este caminho, dizendo que «os jovens são a marca de Deus na nossa Diocese do Porto». Conte connosco, Senhor D. António!

E o dia terminou com um jantar partilhado e a Eucaristia às 21h30 na Igreja dos Clérigos, que cada vez mais começa a tornar-se a expressão do rosto jovem e multicultural do Porto, mostrando assim à cidade e ao mundo «a alegria do evangelho».

(Equipa de Comunicação SDPJ)



Clica aqui para saberes mais sobre este evento
Clica aqui para veres o "Álbum de memórias" deste evento




 © SDPJ Porto 2016-2017 | Última actualização: 18_Out_2016